Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2017 > Agosto > Criança Feliz: a importância dos primeiros mil dias de vida

Notícias

Criança Feliz: a importância dos primeiros mil dias de vida

Estudos recentes mostram que o olho no olho, o carinho e a conversa dos pais com o bebê são atitudes simples que fortalecem todas as estruturas neurais da criança
publicado  em 04/08/2017 17h32
Foto: Rafael Zart/MDS

Brasília – Os primeiros mil dias de vida são determinantes para o futuro. É neste período, que vai da gravidez até o bebê completar três anos de idade, que os sistemas nervoso e imunológico se desenvolvem. Com o estímulo adequado nesta fase, a criança terá a chance de se tornar um adulto saudável tanto no aspecto físico quanto emocional.

Estudos recentes mostram que o olho no olho, o carinho e a conversa dos pais com o bebê são atitudes simples que fortalecem todas as estruturas neurais da criança. Essas ações são importantes para formar capacidades como falar, andar, aprender e até mesmo o pensar.

Para a diretora da Sociedade Brasileira de Pediatria, Maria Tereza da Costa, crianças que têm privação do estímulo naturalmente podem ter dificuldade futuras para inserção no aprendizado e no trabalho. “Não são exercícios e atitudes difíceis. São atitudes, muitas vezes, muito naturais, mas que a gente vem perdendo e achando que é algo que tem a ver só com o conhecimento científico. Na verdade tem a ver com a interação humana”.

Para levar este conhecimento às famílias mais vulneráveis, o governo federal criou o Criança Feliz. O programa vai orientar os pais sobre os estímulos adequados na primeira infância. A intenção é fazer com que as crianças tenham uma vida melhor no futuro, quebrando o ciclo da pobreza. Coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Social, a iniciativa é fundamentada em pesquisas científicas sobre as melhores práticas na área.

Doutora em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília (UnB), Ivânia Ghesti afirma que o diferencial do Criança Feliz é a base científica. “Com o respaldo em muitos estudos, a gente pode fazer essa intervenção de forma planejada, otimizando conforme a idade, qual a melhor a habilidade mais propicia naquele momento da vida”. De acordo com ela, apesar de o programa ser bem estruturado, ele também poderá sofrer aprimoramento ao logo da implementação nos municípios.

Um dos principais países referência em cuidados na primeira infância é o Canadá, que é parceiro do Brasil na promoção do desenvolvimento infantil. O governo canadense colaborou com o governo federal doando um material pedagógico feito especialmente para o público brasileiro.

“Para nós é muito importante concentrar intervenções que produzam bons resultados e salvam vidas. Estamos convencidos que eliminar barreiras e ajudar a criar melhores oportunidades aqui no Brasil e no mundo inteiro vai fazer com que as mulheres e meninos sejam agentes poderosos de mudanças, melhorando suas vidas e comunidades”, destacou o embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone.

Primeira Infância – As primeiras visitas do Criança Feliz já começaram e, até o final de 2018, a expectativa é alcançar quatro milhões de crianças. Serão atendidas as que possuem de zero a três anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Até agora, 2.547 municípios aderiram ao programa.
 

Informações sobre os programas do MDS:
0800 707 2003


Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa