Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Setembro > Bolsa Família: acompanhamento de gestantes cresce 50% no país

Notícias

Bolsa Família: acompanhamento de gestantes cresce 50% no país

Políticas Sociais

Monitoramento contínuo de saúde está entre as políticas desenvolvidas no âmbito do programa
publicado  em 23/09/2016 18h08

Brasília – A quantidade de gestantes do Programa Bolsa Família que foram acompanhadas pela rede pública de saúde cresceu 50% no primeiro semestre deste ano, em comparação aos últimos seis meses de 2015. No total, de janeiro a junho de 2016, 371 mil beneficiárias foram acompanhadas, contra 246 mil no período anterior. Os dados são registrados pelo Ministério da Saúde, com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA).

O aumento foi verificado após a integração, em abril, de dois sistemas do governo federal, o Sisprenatal – desenvolvido para o acompanhamento das gestantes inseridas no Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento – e o Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família na Saúde.  

Entre as gestantes acompanhadas, 99,6% estavam com o pré-natal em dia. O monitoramento contínuo nas áreas de saúde e educação integra as chamadas condicionalidades do Bolsa Família, que são compromissos assumidos pelas famílias e pelo poder público com o objetivo de garantir o acesso aos serviços de saúde e educação. 

Os recém-nascidos e as crianças de até 7 anos devem ser pesados, medidos e ter o calendário de vacinação atualizado. Mulheres entre 14 e 44 anos ou que estejam grávidas também precisam ser assistidas. No período, foram acompanhadas as condicionalidades de saúde de cerca de 8,4 milhões de famílias.

O acompanhamento alcançou mais de 5,2 milhões de crianças de 0 a 7 anos, o que equivale a 69,9% de todas as crianças do Programa Bolsa Família nessa faixa etária. Os dados mostram que 98,8% estavam com a vacinação em dia.

Acesse aqui os resultados em cada município

O coordenador-geral de Acompanhamento das Condicionalidades do MDSA, Rodrigo Lofrano, explica que o acesso regular à saúde traz uma série de benefícios para o desenvolvimento das famílias. Entre os impactos positivos estão a redução da mortalidade infantil e do déficit de estatura por idade.

“Sabemos que o acompanhamento da saúde das crianças no momento certo permite que elas sejam adultos mais saudáveis, evitando uma série de problemas na infância e contribuindo para a ampliação de oportunidades no futuro”, ressalta.

Conforme o secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, o maior acompanhamento dessas gestantes proporciona um pré-natal qualificado, com prevenção e detecção precoce de doenças e promove a integração de diferentes áreas do governo.

“Além de poder acompanhar de perto essas gestantes, cadastradas no Bolsa Família, esse dado se torna importante, também, na articulação de ações que visam a redução da mortalidade materna e infantil. Mesmo com este incremento, faz-se necessário ampliar os esforços, pelos estados e municípios, para captação de gestantes potencialmente beneficiárias”, destaca.

Informações para a imprensa:
Ascom/MDSA
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa