Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Novembro > Ministro Osmar Terra discute adesão de municípios ao Criança Feliz

Notícias

Ministro Osmar Terra discute adesão de municípios ao Criança Feliz

Primeira Infância

No Rio Grande do Sul, ele apresentou ações do programa para prefeitos e vereadores
publicado  em 25/11/2016 18h49
Foto: Mauro Vieira/MDSA

Porto Alegre – O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, apresentou nesta sexta-feira (25) o Programa Criança Feliz para prefeitos e vereadores gaúchos. “O Rio Grande do Sul conta com a maior estrutura de atendimento a crianças com visitação domiciliar no Brasil. Hoje, são 60 mil a receber visitas em casa e, por trás disso, há milhares de visitadores”, afirmou Terra, referindo-se ao Programa Primeira Infância Melhor (PIM), coordenado pela Secretaria Estadual de Saúde. 

Terra esteve em São Sebastião do Caí para explicar as ações do Criança Feliz e incentivar a adesão do estado e dos municípios, que terão papel estratégico na execução do programa. “Nossa proposta é aplicar o protocolo que estamos elaborando para o programa, para que os visitadores, que já atuam no PIM, sigam nossa orientação com as crianças do Bolsa Família”, destacou Terra. 

A adesão garantirá aos municípios e estados repasses do governo federal para a contratação dos profissionais responsáveis pelas visitas domiciliares. Eles vão estimular o pleno desenvolvimento de meninos e meninas nos primeiros mil dias de vida. 

Compromisso – Em Porto Alegre, o ministro Osmar Terra participou de reunião com o secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo dos Reis. Na ocasião, Reis falou sobre o compromisso estadual de aderir ao Criança Feliz. “O programa reforçará os recursos que as prefeituras recebem para contratar equipes, investir nas ações e dar melhores condições de vida às famílias”, ressaltou. 

Especialista em Criminologia e professor da Universidade Federal de Pelotas, o doutor britânico Joseph Murray também esteve com Osmar Terra durante a agenda. Murray coordenou pesquisa sobre os efeitos da violência na vida de cinco mil crianças e os impactos durante a fase adulta. 

Ele afirmou que as ações propostas pelo Criança Feliz estão relacionadas à redução da pobreza e da violência. “Qualquer programa que ajude a criança com as capacidades cognitivas e sociais, no início da vida, traz bons resultados”, defendeu Murray. 

O Criança Feliz vai estimular o desenvolvimento das crianças desde a gestação. Os filhos de beneficiários do Bolsa Família serão acompanhados até os três anos de idade. Já nas famílias que recebem o Benefício de Prestação Continuada o atendimento será até os seis anos. A meta do programa é atender cerca de 4 milhões de crianças até 2018. 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDSA
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/area-de-imprensa