Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Junho > Segurança alimentar e nutricional é prioridade do governo federal

Notícias

Segurança alimentar e nutricional é prioridade do governo federal

SEGURANÇA ALIMENTAR

Secretário nacional Caio Rocha destaca principais desafios da pasta para este ano
publicado  em 15/06/2016 15h55
Foto: Lia de Paula/MDSA

Brasília – “O Brasil vem ao longo dos últimos 15 anos diminuindo os índices de pobreza com o aumento de renda da população, mas ainda temos grandes bolsões de pobreza que precisam de uma mão forte do Estado”, destacou Caio Rocha, secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA).

Para Rocha, a Secretaria Nacional de Segurança Alimentar (Sesan) cumpre papéis fundamentais para atingir este objetivo. Um dos desafios é ampliar e fortalecer a agricultura familiar. “Vamos qualificar e promover a participação de mais de 80 mil agricultores familiares por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), para que possamos garantir e ampliar a renda do produtor”.

Segundo o secretário, no ano passado o governo federal adquiriu R$ 3, 7 bilhões de alimentos da agricultura familiar, mas ele acredita que o poder de compra pode ser maior pela modalidade de compra institucional do PAA. “Somando apenas as Forças Armadas, R$ 2 bilhões é o potencial para adquirir produtos da agricultura familiar”, reforçou.

Rocha também destacou como prioridade da secretaria a construção de 50 mil cisternas para consumo humano, 8 mil para produção e 1,5 mil cisternas destinadas às escolas rurais. Outra meta para 2016 é incrementar a renda de 60 mil famílias em situação de extrema pobreza por meio do Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais. “Vamos suplementar com R$ 2,4 mil cada uma dessas famílias para que possam melhorar a sua produção e sair da pobreza”.

Outro desafio da área será atender a 12,6 mil famílias com os bancos comunitários de sementes crioulas, principalmente de milho, feijão e hortaliças. “No Semiárido usam sementes híbridas, o que reflete na baixa produtividade. Vamos beneficiar essas famílias com sementes de qualidade”.

 

Informações para a imprensa:

Ascom/ Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

(61) 2030-1021

http://www.mds.gov.br/area-de-imprensa

registrado em: