Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Julho > Brasil reduziu 14,9 mil toneladas de sal dos alimentos processados

Notícias

Brasil reduziu 14,9 mil toneladas de sal dos alimentos processados

Segurança Alimentar

Acordo entre governo federal e a Associação das Indústrias da Alimentação deve proporcionar mais saúde para a população
publicado  em 01/07/2016 18h00
Foto: Ana Nascimento /MDSA

Brasília – O Brasil retirou 14,9 mil toneladas de sódio dos produtos alimentícios processados nos últimos cinco anos. De acordo com a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), este é um grande avanço para uma alimentação mais saudável. Os dados são resultados das três primeiras fases do acordo entre o Ministério da Saúde - integrante da Caisan - e a Associação das Indústrias da Alimentação (Abia), que iniciou em abril 2011. 

“O sódio é um nutriente que quando consumido em excesso provoca hipertensão – uma condição que hoje afeta um em cada quatro brasileiros. Um acordo como esse favorece que as pessoas consumam menos sódio no seu dia a dia”, destacou a coordenadora-geral de Educação Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), Janine Coutinho.

A redução equivale a 3.723 caminhões de 10 toneladas carregados de sal. A meta do Ministério da Saúde é que, até 2020, as indústrias do setor promovam a retirada voluntária de 28.562 toneladas de sal do mercado brasileiro. Atualmente, o brasileiro consome o dobro do recomendado de sal pelo Ministério da Saúde, cerca de 4,4 gramas por dia, mais que o dobro que a Organização Mundial da Saúde recomenda.

Janine Coutinho explica que apesar da redução nos alimentos processados, a principal fonte de consumo de sal dos brasileiros está nos alimentos preparados em casa. Os brasileiros precisam se atentar para a quantidade adicionada às refeições. “É importante que as pessoas e as famílias reconheçam a grande diversidade de alimentos e temperos disponíveis; que se utilize menos sal e mais temperos caseiros. O Brasil tem uma infinidade de ervas e condimentos naturais como açafrão, cheiro-verde, manjericão, cebola, coentro, salsa, cravo e cominho”, afirma.

O MDSA vem disponibilizando por meio da rede virtual Ideias na Mesa, cursos e orientações de Educação Alimentar e Nutricional para os profissionais da assistência social, saúde e educação. São um conjunto de iniciativas para apoiar o trabalho com as famílias. “Na revista mais recente do Ideias na Mesa, por exemplo, falamos sobre a importância de cozinhar. As pessoas estão perdendo o habito de cozinhar em casa, com a família, precisamos retomar isso”, explica a coordenadora-geral.

Caisan - A Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional é uma das instâncias integrantes do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan). Sua responsabilidade é coordenar a execução da Política e do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.  A Caisan é presidida pelo ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra. A secretaria-executiva da Câmara é exercida pelo secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sesan) do MDSA, Caio Rocha. 

Leia Mais
Brasil é o 4º maior consumidor de açúcar do mundo

Informações para a imprensa:
Ascom / Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário
(61) 2030-1021
http://www.mds.gov.br/area-de-imprensa