Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Fevereiro > Pela sucessão no campo

Notícias

Pela sucessão no campo

JUVENTUDE

publicado  em 23/02/2016 16h00
Albino Oliveira/MDA

A criação de um plano de ações para a juventude rural é uma demanda histórica dos movimentos sociais do campo. E para discutir e priorizar propostas que integrarão o documento final, o Ministério do Desenvolvimento Agrário promove a ‘Oficina de Diálogo sobre o Plano Nacional de Juventude e Sucessão Rural’. A proposta é articular as políticas públicas, atualmente existentes no governo federal, e elaborar novas iniciativas que promovam qualidade de vida, acesso à terra, geração de trabalho e renda, além da efetivação de direitos, criando condições para permanência desses jovens no campo. A previsão é que o documento seja lançado junto com o Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017.

Durante a abertura do evento, nesta terça-feira (23), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, destacou a necessidade de revalorizar a vida camponesa e desenvolver, cada vez mais, ações integradas com outros ministérios para melhorar a qualidade de vida no meio rural. “Criarmos condições para que as crianças e os jovens rurais permaneçam no campo são nossos grandes objetivos. Preservando seus vínculos e valores familiares; produzindo alimentos saudáveis para garantir a segurança alimentar e nutricional de toda a população brasileira; e contribuindo para que tenhamos equilíbrio entre uma agricultura produtiva de alimentos saudáveis e preservação do meio-ambiente”, frisou Patrus.

Jovens de 23 estados brasileiros participam da oficina. Entre eles, Dione Torquato, 28 anos, do Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), que veio de Manaus. Ele explica que o encontro é importante para criar um debate aprimorado e específico, capaz de abranger toda a diversidade da ruralidade brasileira. “Queremos construir um plano de juventude rural com pautas decisivas para os diversos Biomas do Brasil. No Norte, por exemplo, precisamos pensar o desenvolvimento econômico de forma mais estratégica, visando à sustentabilidade e a conservação”, pontuou.

A oficina segue até quinta-feira (25), com debates dos cinco eixos propostos para o Plano: Terra e Território; Trabalho e Renda; Educação do campo; Qualidade de vida; e Participação e Democracia. Aproximadamente 90 pessoas participam do evento, entre jovens representantes das organizações nacionais da agricultura familiar e da reforma agrária, professores - especialistas em juventude e desenvolvimento rural - e representantes do governo.

Também participaram da mesa de abertura: Luiza Dulci, assessora de Juventude do MDA; Gabriel Medina, secretário Nacional de Juventude; Hernan Chiriboga, representante do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) no Brasil; e Germano de Barros, coordenador do Comitê Permanente de Juventude do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (Condraf).

Conquistas juventude

Ações para jovens rurais têm sido priorizadas em todas as áreas do MDA. Entre os avanços alcançados, no último ano, estão:

  • Estruturação da Assessoria de Juventude Rural do MDA;
  • Lançamento de chamada de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) específica da juventude, com investimento de R$ 110 milhões;
  • Lançamento de edital da Fundação Banco do Brasil, junto ao BNDES, para apoio a cooperativas e associações de jovens, no valor de R$ 8 milhões - já  finalizado, para apoiar 53 projetos;
  • Assinatura do decreto que determina que o Crédito Fundiário passe a financiar imóveis objetos de partilha por herança, facilitando a compra de terras entre herdeiros;
  • Compromisso de destinar 30% dos novos lotes de reforma agrária a jovens;
  • Incentivo à organização da juventude nos territórios, por meio de edital do Programa de Apoio à Infraestrutura nos Territórios Rurais (Proinf), com destinação de recurso adicional de R$ 50 mil para aqueles que possuem Comitês de Juventude.

Fonte: MDA