Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2016 > Fevereiro > MDS lança Plano de Ação de combate ao Aedes aegypti e enfrentamento à Microcefalia

Notícias

MDS lança Plano de Ação de combate ao Aedes aegypti e enfrentamento à Microcefalia

MDS CONTRA O MOSQUITO

Durante a Teleconferência da TV NBR, Ministério mobilizou trabalhadores, gestores e conselheiros para a prevenção e o atendimento às famílias
publicado  em 15/02/2016 16h31
Foto: Ana Nascimento

Brasília – Com ações de prevenção, acolhida e proteção social, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) lançou, nesta segunda-feira (15), o Plano de Ação de Combate ao Aedes aegypti e para o enfrentamento à Microcefalia para gestores, conselheiros e trabalhadores da assistência social.  “Estamos oferecendo toda a nossa rede para dar segurança e para estar junto destas famílias neste momento”, afirmou a secretária nacional de Assistência Social, Ieda Castro, durante a Teleconferência, na TV NBR. 

A secretária nacional ressaltou que é um papel de todos combater o nascimento do mosquito que transmite a dengue, a chikungunya e o zika vírus. Por isso, convocou os trabalhadores da assistência social para uma mobilização na próxima sexta-feira (19), juntamente com a área de educação, para prevenir a proliferação do Aedes aegypti 

“Vamos fazer uma mobilização semelhante à deste último sábado, em todo o território nacional. Precisa ser uma ação permanente”, destacou a secretária ao lembrar do Dia Nacional de Mobilização, que contou com a participação de 220 mil militares em mais de 350 municípios. A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, liderou o mutirão em Recife (PE). 

Para atender as crianças diagnosticadas com microcefalia e suas famílias, Ieda Castro ressaltou que os serviços ofertados nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), nos Centros de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), em outros equipamentos da área e na rede privada, estarão articulados para oferecer proteção para a criança com deficiência e para a família. “Temos que criar uma rede de proteção no território para que estas crianças não sejam excluídas e não deixem de ser atendidas”, disse. Ela alertou também que os temas ligados à doença farão parte das discussões nos serviços ofertados. “É importante agir contra o preconceito. A criança não pode ser rotulada ou excluída por ter uma deficiência”, completou. 

Além dos trabalhadores que atendem os usuários da assistência social, o presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), Edvaldo Ramos, apontou que é dever dos conselhos municipais se envolver na campanha de mobilização, principalmente porque está em todo o território brasileiro. “O controle social significa a presença da sociedade na tomada de decisão. Significa também que cada conselheiro deve orientar no seu ambiente de trabalho, nas famílias, e fazer com que isso se multiplique”, enfatizou. 

Durante a Teleconferência, também foram esclarecidas as informações sobre o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é garantido a idosos e pessoas com deficiência que façam parte de famílias com renda inferior a ¼ do salário mínimo. “A criança com microcefalia pode ter outros comprometimentos das funções que podem significar deficiências e assim a torna um público prioritário para a assistência social. Essas crianças são elegíveis do BPC, um benefício concedido há 20 anos”, explicou a diretora de Benefícios Assistenciais do MDS, Maria José de Freitas. Ela destacou que a concessão do benefício é realizada pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). 

Cisternas – Durante a Teleconferência, o secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos, ressaltou que a proliferação do mosquito Aedes aegypti ocorre com maior frequência em áreas urbanas. No entanto, alertou que os beneficiários do Programa Cisternas, na zona rural, devem estar atentos aos cuidados com o reservatório. “1,2 milhão de cisternas é motivo de alegria, mas isso não pode tirar a vigilância de cada uma das famílias”, afirmou. “É importante que as pessoas que façam a limpeza, coloquem cloro, limpem as calhas e mantenham a cisterna fechada com a tampa travada”, completou. Ele destacou que há um material informativo com orientações aos beneficiários disponível no site do MDS.

 

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa