Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Outubro > Agricultores familiares recebem R$ 27,4 milhões em outubro

Notícias

Agricultores familiares recebem R$ 27,4 milhões em outubro

PAA

O casal Verônica e Expedito Silva, de Itapiúna (CE), é um dos 15 mil agricultores familiares que serão beneficiados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)
publicado  em 27/10/2015 09h52

Brasília – Na pequena cidade de Itapiúna, no Ceará, o casal Verônica Ribeiro da Silva, 48 anos, e Expedito Rodrigues da Silva, 56, planta tomates e cheiro verde para vender para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Eles participam do programa desde o ano passado, quando receberam quase R$ 6 mil. O dinheiro é reinvestido na produção. “Com o que ganhamos do PAA, compro as sementes, o preparo para a terra, o adubo e outras coisas que precisamos para a plantação”, conta Verônica. 

O casal é um dos mais de 15 mil agricultores familiares que serão beneficiados com o PAA em outubro. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) começou a repassar R$ 27,4 milhões aos agricultores que comercializaram seus produtos para o programa, na modalidade Compra com Doação Simultânea, em 11 estados e 199 cidades. Desde a criação da modalidade, em 2013, esse é o segundo maior pagamento do PAA.

O programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação. Esses alimentos são distribuídos gratuitamente a pessoas ou famílias que precisam de suplementação alimentar (porque estão em situação de insegurança alimentar e nutricional) e também a entidades de assistência social, restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos, entre outros. Os alimentos adquiridos pelo PAA também podem compor estoques públicos estratégicos de alimentos.

 

Verônica conta que o tomate e o cheiro verde produzidos são de alta qualidade. Assim que é colhido vai direto para o posto de entrega na prefeitura de Itapiúna. “Esse é um alimento que vai ser consumido por outras pessoas, tem que ter cuidado”. 

Sem o programa, seria difícil escoar a produção. “Estamos num período muito sacrificante, com uma grande estiagem na cidade. Com o PAA, a gente consegue entregar o produto e receber o dinheiro”. A agricultora familiar explica que os outros produtos – hortaliças, pimenta de cheiro e abóbora – são vendidos na feira livre da cidade, mas o dinheiro é incerto. 

Para complementar a renda, Verônica conta com o Bolsa Família. Os R$ 235 que recebe do programa de transferência de renda auxilia na vida escolar dos três filhos menores (12, 13 e 17 anos). “Eu gasto sempre com meus filhos. Quando eles pedem um caderno, uma caneta, uma merenda para o colégio, é desse dinheiro que eu tiro tudo isso.” 

Confira: pagamento detalhado do PAA

Para o futuro, Verônica quer montar um negócio para poder vender seus produtos mais perto de casa. Mãe de seis filhos, ela sonha que todos eles consigam estudar até a faculdade. “Dois fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no final de semana. Espero que eles tenham uma boa nota para ter um bom lugar para estudar.” 

Cartão – Desde 2013, os agricultores podem sacar o dinheiro com o cartão bancário específico do PAA ou utilizá-lo em operações de débito. Os pagamentos são feitos todo mês, permitindo que o agricultor receba o recurso, no máximo, 30 dias após cada entrega de produtos. “Tirar o dinheiro com o cartão é mais seguro. Vem direto na mão da gente”, afirma Verônica.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/area-de-imprensa