Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Novembro > Defesa do consumidor é tema de discussão sobre segurança alimentar e nutricional

Notícias

Defesa do consumidor é tema de discussão sobre segurança alimentar e nutricional

COMIDA DE VERDADE

Pautas como rotulagem, publicidade de alimentos e revisão dos padrões de qualidade ajudam no acesso a uma alimentação saudável e adequada
publicado  em 06/11/2015 00h00
Foto: Ana Nascimento/MDS Ana Paulo Bortoletto

Ana Paulo Bortoletto

Brasília, 6 – A participação social e a construção de políticas públicas em prol da defesa do direito do consumidor contribui para garantir a segurança alimentar e nutricional. Ana Paulo Bortoletto, nutricionista e pesquisadora do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), afirma que “melhorar o acesso à informação sobre o conteúdo dos alimentos que consumimos por meio da rotulagem e da publicidade não enganosa é um dos temas prioritários da alimentação saudável e sustentável”. Ela participa da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que encerra hoje (6), em Brasília.

A organização, que educa e orienta o cidadão em como solucionar seus problemas e seus direitos em relação a um produto ou serviço, participa do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e participa da nesta semana. Ana Paulo explica que as possibilidades de atuação vão desde cobrar dos órgãos competentes para que façam normas adequadas e denunciar as empresas que não respeitam o Código de Defesa do Consumidor, como também promover campanhas para que as pessoas se conscientizem e conheçam melhor para poder escolher os alimentos que vão consumir. 

“A Conferência é um espaço incrível para fazer tudo isso, porque é um espaço de construção de propostas que vão recomendar políticas públicas, ações do governo e da sociedade civil para melhoria da segurança alimentar e nutricional”, relata a nutricionista. Para ela, participar tem sido uma experiência incrível porque se discute toda amplitude que inclui a segurança alimentar e nutricional, como a regulação de alimentos. 

Apesar da diversidade dos participantes no evento, todos defendem uma mesma pauta e dialogam sobre o mesmo objetivo: a comida de verdade no campo e na cidade. A pesquisadora do Idec ficou surpresa ao saber que a comunidade indígena reconheceu como uma das propostas prioritárias a rotulagem de alimentos. “Os indígenas veem isso como importante. É incrível saber que a gente está conseguindo dialogar com todo mundo, a gente não só defende a pauta do direito à terra, ao território, à população indígena, à valorização dos alimentos regionais, assim como eles reconhecem que a pauta do consumidor, de regulação de alimentos é muito importante. Essa troca é muito bacana.” 

Conferência – Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho do Consea sobre “Regulação de Alimentos – Garantia de Segurança Alimentar e Nutricional” trouxe para a conferência a discussão sobre o tema. Dentre as sugestões, a necessidade de aperfeiçoar as ações de regulação de alimentos que incluem a restrição da publicidade de alimentos para o público infantil, o aprimoramento e fiscalização da rotulagem de alimentos de forma a tornar a informação mais clara e evitar informações enganosas ao consumidor, a revisão do uso de ingredientes e aditivos alimentares nocivos à saúde e a revisão dos padrões de qualidade de produção e boas práticas de fabricação de alimentos.

 

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br 

 

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/area-de-imprensa