Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Março > Famílias podem receber Bolsa Família antecipado em municípios do Acre em situação de emergência

Notícias

Famílias podem receber Bolsa Família antecipado em municípios do Acre em situação de emergência

BOLSA FAMÍLIA

Medida atende a mais de 36 mil famílias de seis cidades do estado. Beneficiários já podem sacar o pagamento a partir de 18 de março
publicado  em 16/03/2015 16h03

Brasília, 16 – O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) vai adiantar o pagamento do Bolsa Família nos meses de março e abril para 36,8 mil famílias de seis municípios em situação de emergência no Acre. O motivo são as fortes chuvas que atingem a região. Ao todo, serão transferidos cerca de R$ 7,6 milhões para estes beneficiários.

As famílias de Assis Brasil, Brasiléia, Epitaciolândia, Tarauacá, Rio Branco e Xapuri podem sacar o benefício a partir de 18 de março, primeiro dia do calendário de pagamento do programa, independente do último algarismo do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão. "O objetivo da ação é amenizar a situação enfrentada pelas famílias do Bolsa Família nesses municípios", explica o diretor de Benefícios do MDS, Walter Emura.

Mesmo que o beneficiário tenha perdido o cartão de saque, ele poderá retirar o valor referente ao Bolsa Família. Para tanto, o responsável pela família deve ir ao setor do Bolsa Família no município e solicitar a Declaração Especial de Pagamento. O documento, apresentado em substituição ao cartão, tem validade de 60 dias.

Calendário – Pela regra, o benefício do Bolsa Família é pago nos últimos 10 dias úteis de cada mês e segue o último algarismo do NIS. As famílias com cartões terminados em “1” recebem no primeiro dia do calendário de pagamento, as com cartões de final “2” no segundo dia e assim por diante.

Todo município em situação de emergência e de calamidade pública decretada pelo governo estadual ou pelo federal pode contar com as medidas especiais do Programa Bolsa Família (antecipação dos saques e documento provisório autorizando a retirada do benefício). Para isso, os gestores municipais de localidades afetadas por deslizamento de terra, enchente, alagamento ou seca extrema devem acionar as coordenações estaduais do programa, assim que as situações de desastres forem decretadas. A coordenação rápida de ações faz a diferença na vida das famílias beneficiárias dessas regiões.