Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Março > Discussão sobre igualdade de gênero deve passar pela garantia de renda às famílias mais pobres

Notícias

Discussão sobre igualdade de gênero deve passar pela garantia de renda às famílias mais pobres

SEXTA COM DEBATE

Especialistas falaram sobre a participação feminina nas políticas públicas
publicado  em 06/03/2015 16h55
Fotos; ASCOM/MDS

Fotos; ASCOM/MDS

Brasília, 6 – A garantia de direitos para as mulheres, o acesso ao trabalho e renda e a construção de políticas de valorização de gênero foram abordados no Sexta com Debate especial para comemorar o Dia Internacional da Mulher. O encontro, promovido nesta sexta-feira (6) pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), contou com especialistas do governo e da Universidade de Brasília (UnB).

Para a pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Luana Pinheiro, o programa Bolsa Família tem um papel importante para a participação das mulheres na renda familiar. “A partir do momento em que elas recebem o benefício, elas têm mais autonomia, tomam decisões e renegociam com o seu companheiro a questão da desigualdade dentro dos domicílios”, disse. 

Flávia Biroli, professora do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB), frisou que é necessário avançar muito ainda para que seja garantido o exercício dos direitos da mulher. “Não dá para discutir igualdade de gênero sem discutir a desigualdade social.”

O secretário executivo do MDS, Marcelo Cardona, ressaltou algumas conquistas sociais, entre elas a participação do sexo feminino no Bolsa Família. Hoje, as mulheres são responsáveis pelo recebimento da transferência de renda em 93% dos lares. Também representam 73% dos beneficiários do Programa Água para Todos e 76% do Programa de Fomento às Atividades Rurais. “Avançamos em muitas políticas, mas ainda é necessária uma grande vigilância para que não haja retrocesso”, afirmou. 

Atendimentos – O combate à violência contra as mulheres também foi discutido no encontro. Segundo a secretária nacional adjunta de Assistência Social do MDS, Valéria Gonelli, a agressão física é a terceira maior ocorrência nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Das mulheres que procuram as unidades, 88% relataram a violência. 

“As mulheres que atendemos já estão em uma perspectiva de rompimento dessa situação. Elas recebem muito apoio e dedicação para que possam se fortalecer e buscar a reconstrução de suas vidas.”

Entre os principais desafios para o atendimento no Sistema Único de Assistência Social (Suas) e para a garantia dos direitos das mulheres estão, segundo ela, a qualificação e a permanência dos profissionais nos serviços e o entendimento dos gestores de que a assistência social às famílias é um direito a ser cumprido. 

Encontro – O Sexta com Debate é organizado, quinzenalmente, pela Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação do MDS. O objetivo é promover o debate de temas relacionados ao desenvolvimento social no Brasil e no mundo. A edição especial do Dia Internacional da Mulher foi realizada em parceria com o Comitê MDS de Políticas para as Mulheres e de Gênero.