Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Junho > ONU Mulheres destaca políticas sociais na promoção da igualdade de gênero

Notícias

ONU Mulheres destaca políticas sociais na promoção da igualdade de gênero

POLÍTICAS PÚBLICAS

Organismo internacional destaca importância das ações do governo brasileiro para apoiar inserção social e econômica de mulheres. Diretora regional Luiza Carvalho se encontrou nesta terça-feira (23) com ministra Tereza Campello
publicado  em 23/06/2015 00h00

Brasília, 23 – “O que chama atenção na América Latina – e, em especial, no Brasil – é o nível de políticas ofertadas para a inserção social. E que determinam também a qualidade da inserção da mulher no mercado de trabalho, como a do aumento do salário mínimo e os programas condicionados de transferência de renda. Aliado a outras políticas, isso tem impactado de forma consistente e sustentável na participação social e econômica das mulheres”, destacou a diretora Regional da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres) para a América Latina e Caribe, Luiza Carvalho.

Ubirajara Machado/MDS


Ela esteve nesta terça-feira (23), em Brasília, com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. “O foco das nossas políticas não é exclusivamente nas mulheres. É na pobreza.
Mas, ao alcançarmos este objetivo, chegamos a este público e melhoramos a vida de milhares de mulheres no Brasil”, explicou Tereza Campello.

No encontro, a ministra ressaltou a importância do papel das mulheres no sucesso do Bolsa Família, onde 93% das 14 milhões de famílias que recebem a transferência de renda têm a mulher como responsável pela retirada do dinheiro. As mulheres ainda representam 67% das 1,8 milhão de matrículas feitas pela população de baixa renda no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

No campo, as ações também têm dado o papel de protagonista às mulheres. Entre os participantes do Programa de Fomento às Atividades Rurais, que alia assistência técnica a recursos não reembolsáveis, 79% são do sexo feminino. E, nas compras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), as mulheres devem ser 30% dos agricultores familiares que participam.

“A construção da política que fizemos foi de assumir que não se consegue chegar à população de baixa renda somente com políticas universais. Se você quer inverter essa lógica e garantir acesso à renda e a serviços, tem que se construir um caminho que dê uma oferta diferenciada a estes que estão mais distantes do poder público”, concluiu Tereza Campello.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021