Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Julho > OMS destaca políticas públicas brasileiras de alimentação e nutrição

Notícias

OMS destaca políticas públicas brasileiras de alimentação e nutrição

POLÍTICAS PÚBLICAS

Relatório da organização cita como exemplos os programas de Aquisição de Alimentos e o Nacional de Alimentação Escolar. Desafio é promover alimentação saudável como alternativa a produtos ultraprocessados
publicado  em 01/07/2015 00h00

Brasília, 1º – Frutas e verduras frescas em uma grande variedade são consumidas todos os dias por crianças da creche Renascer, localizada em Brasília. Os produtos vêm da agricultura familiar, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Lá, as crianças fazem cinco refeições diárias e o cardápio preparado semanalmente por uma nutricionista prioriza a alimentação saudável. “A qualidade dos alimentos é inquestionável. As crianças passaram a se alimentar melhor. Percebemos a mudança na cor, peso, altura e no desempenho escolar”, destaca a diretora Vera Lúcia Vidal.

A educação alimentar também faz parte do dia a dia na creche. A nutricionista Patrícia Amaral conta que muitas crianças rejeitavam frutas e verduras. “Sempre explico a importância de consumir alimentos saudáveis. Coloco no cardápio sucos variados misturando, por exemplo, beterraba e cenoura. Eles adoram! Hoje eles já dizem que beber refrigerante não é saudável”, ressalta.

A oferta de uma variedade de alimentos saudáveis é um dos benefícios diretos do PAA. Esses produtos são alternativas aos ultraprocessados relacionados a problemas como excesso de peso e doenças crônicas, como a diabetes e a hipertensão. Além de garantir alimentos frescos, o programa fomenta a agricultura familiar e estimula a economia local.

Os resultados positivos dessa política pública foram citados no relatório da Organização Mundial da Saúde, intitulado Conexão Global Prioridades: biodiversidade e a saúde humana, lançado em fevereiro deste ano. O documento também destaca o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) como exemplo de ação que garante hábitos alimentares saudáveis, por meio da oferta de alimentação adequada em escolas e na primeira infância.

O relatório aponta para uma preocupação mundial: o aumento do consumo de alimentos processados e não saudáveis. Com a saída do Brasil do mapa da fome, essa questão passa a ser um dos grandes desafios do país. Segundo a diretora do Departamento de Estruturação e Integração de Sistemas Públicos Agroalimentares do MDS, Patrícia Gentil, o tema da alimentação saudável, do enfrentamento do sobrepeso e da obesidade já está presente na agenda de segurança alimentar. “Conseguimos comprar produtos da agricultura familiar fortalecendo esse segmento, oferecendo produtos de qualidade e melhorando a alimentação daqueles que são atendidos pelas compras públicas. A experiência brasileira ajuda a encontrar caminhos que fortalecem cada vez mais a segurança alimentar”, afirma.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021