Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Janeiro > Educação e geração de oportunidades são desafios para superação da extrema pobreza

Notícias

Educação e geração de oportunidades são desafios para superação da extrema pobreza

RECONDUÇÃO

Em cerimônia de recondução ao cargo de ministra, Tereza Campello celebrou o cumprimento de todas as metas do Plano Brasil Sem Miséria e destacou objetivos para o próximo período
publicado  em 07/01/2015 23h00
Exibir carrossel de imagens Foto: Sergio Amaral/MDS

Foto: Sergio Amaral/MDS

Brasília, 7 – “A palavra-chave para o próximo período é oportunidades, que se expressam no grande lema proposto à nação: Pátria Educadora”. A afirmação é da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, que foi reconduzida ao cargo nesta quarta-feira (7), em Brasília.

Ela destacou que, superada a fome, um dos grandes resultados alcançados nos últimos 12 anos pelo país, é hora de pensar em conhecimento. “Não existe nada menos educador do que a miséria. Seu fim significa a liberdade de poder pensar em algo a mais do que ter o que comer no dia seguinte”, destacou.

Segundo a ministra, é preciso avançar na oferta de educação para as crianças pobres de 0 a 3 anos, na educação em tempo integral para crianças e jovens de baixa renda e abrir caminho para os jovens e os negros de baixa renda. E um dos grandes desafios, destacou, é casar ainda mais a qualificação profissional e intermediação de mão de obra, reduzindo as distâncias e o tempo para garantir vagas de emprego aos egressos de cursos de qualificação profissional.

Tereza Campello lembrou o conjunto de políticas do governo federal que melhorou a vida de milhões de brasileiros, realizadas por meio do Plano Brasil Sem Miséria. “Os resultados que alcançamos não foi por acaso ou sorte. Foi escolha de um governo, uma decisão politica de colocar o orçamento a favor dos pobres, de colocá-los no centro da meta.”

Por meio do plano, o governo federal estabeleceu um novo paradigma de Estado. Pela primeira vez, os governos assumiram a obrigação de levar serviços e qualidade de vida a quem mais precisa, por meio da busca ativa. Ainda foi estabelecida uma linha de extrema pobreza, abaixo da qual não é mais aceitável que nenhum brasileiro viva, com a criação de um piso social. 

“Fizemos tudo com o que nos comprometemos. Batemos todas as nossas metas em dezembro. Mas a agenda de superação da pobreza ainda não foi suplantada. Os desafios são grandes para o próximo período”, reforçou Tereza Campello.

Ela também acrescentou a importância da inclusão econômica da população mais pobre, por meio da qualificação profissional, da formalização e da assistência técnica. E lembrou do esforço para definir estratégias específicas que permitiram levar serviços públicos aos mais pobres, sem atingir o conceito da universalização.

Para a ministra, os resultados são visíveis. Ela lembrou que é comum, em eventos dos quais participa, beneficiários e ex-beneficiários darem depoimentos de como suas vidas mudaram. “São empreendedores, estudantes universitários, são vitoriosos. São a prova de que o investimento na redução das desigualdades e na geração de oportunidades é um ativo para nosso país.” 

Confira:
Vídeo apresentado na cerimônia de recondução de Tereza Campello ao cargo de ministra 
Áudio da cerimônia de posse
Leia a íntegra do discurso


Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa: 
Ascom/MDS 
(61) 2030-1021