Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Agosto > Munic 2014: 61,2% das prefeituras desenvolvem atividades de educação alimentar

Notícias

Munic 2014: 61,2% das prefeituras desenvolvem atividades de educação alimentar

Combate à Fome

Pesquisa do IBGE mostra ainda que 29,2% dos 5.570 municípios têm Conselho Municipal de Segurança Alimentar
publicado  em 26/08/2015 18h50
Foto: Sergio Amaral/MDS

Brasília, 26 – Pouco mais de 61% (3.411) das prefeituras brasileiras desenvolvem atividades de educação alimentar e nutricional, segundo dados da Pesquisa de Informações Municipais (Munic) 2014, divulgada nesta quarta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa reúne informações relativas a todos os 5.570 municípios do país.

Outras ações, como manutenção de banco de alimentos e restaurantes populares, também foram realizadas em 5,9% (326) e 2,9% (161) dos municípios, respectivamente. Já nas cidades com mais de 500 mil habitantes, essas ações foram realizadas em 56,7% (20) e 58,9% (22), respectivamente.

Leia também:
Inclusão produtiva está presente em 98,7% dos municípios


A pesquisa aponta ainda que as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste – 37,6% (169), 42,1% (756) e 40,3% (188), respectivamente – apresentam percentuais que superam a média nacional quanto à ação de manutenção de feiras livres.

Outro destaque da pesquisa é que 29,2% (1.632) dos municípios brasileiros têm Conselho Municipal de Segurança Alimentar. Deste total, 26,5% (432) receberam recursos orçamentários do governo municipal para apoiar suas atividades. Nos municípios com mais de 500 mil habitantes, esses recursos estavam disponíveis para 66,7% dos conselhos (33). Os conselhos municipais são instrumentos práticos para provocar as ações efetivas na área, além de auxiliarem no monitoramento e fiscalização da atuação das prefeituras.

A Munic e a Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic), realizadas em 2014, abordaram o tema segurança alimentar e nutricional, com o objetivo de mostrar a estrutura administrativa, a legislação existente para a gestão da política e as ações que estão sendo desenvolvidas. 

Para o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Arnoldo de Campos, as pesquisas orientam as ações da agenda futura do país, que saiu do Mapa Mundial da Fome da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em 2014. Entre os desafios estão o combate à obesidade e ao sobrepeso. 

“Este é mais um instrumento para nos ajudar na promoção da alimentação saudável e adequada da população. Estamos em uma nova fase, porém só alcançaremos os objetivos se todos os estados e municípios estiverem engajados”, disse ele, referindo-se à importância do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), que articula ações do governo federal com estados e municípios, e ao Pacto Federativo pela Alimentação Saudável e Adequada. 

Para Campos, com este engajamento será possível enfrentar dois grandes desafios: garantir o acesso à alimentação, por meio da busca ativa, a populações específicas que ainda estão em insegurança alimentar e promover a qualidade dos alimentos que são consumidos pela população.

Acesse a pesquisa aqui


Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br