Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Agosto > “Queremos testemunhar como é possível fazer mudanças grandes e concretas”

Notícias

“Queremos testemunhar como é possível fazer mudanças grandes e concretas”

Políticas Sociais

Delegação da União Africana visita o Brasil para conhecer as políticas sociais que levaram o país a superar a fome e a extrema pobreza
publicado  em 28/08/2015 15h10
Ubirajara Machado/MDS Ministra Tereza Campello com a Delegação da União Africana

Ministra Tereza Campello com a Delegação da União Africana

Brasília, 25 – Uma delegação de países africanos está no Brasil para conhecer as políticas que levaram o país a superar a fome e a extrema pobreza. “Queremos testemunhar, como União Africana, que o Brasil é um exemplo a ser seguido. E como é possível fazer mudanças grandes e concretas”, disse afirmou o chefe da delegação, Martiel De Paul Ikonga. “Viemos visitar e ouvir, porque ouvir uma única vez, do próprio governo brasileiro, é melhor do que escutar mil vezes de outros que nos contam esta história de sucesso”, explicou. A União Africana é uma organização que reúne 54 países do continente.

O diretor do Programa Mundial de Alimentação, Daniel Balaban, que acompanha os ministros da Educação, Agricultura e Finanças de países da União Africana nesta visita, contou que o Brasil está contribuindo hoje para que vários países da região implantem programas e enfrentem seus problemas de fome, pobreza e desenvolvimento social, a partir das experiências brasileiras dos últimos 12 anos.

“É uma obrigação de todos os países reduzirem as desigualdades. Países desenvolvidos também têm nível de desigualdade social e população pobre”, lembrou a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, que recebeu a delegação nesta terça-feira (25). Ela destacou que, para vencer a fome, é necessário que o país tenha vontade política, ações de impacto e soluções simples e replicáveis. “A fome e a pobreza não devem ser consideradas como algo natural. A sociedade deve estar engajada, mas o Estado deve colocar como meta, tarefa e dever a reversão da pobreza e do sofrimento.” 

Tereza Campello apresentou o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. E ressaltou que a consolidação desta base de dados é estratégica na execução de políticas públicas, permitindo aos gestores públicos terem um mapa claro de como a pobreza está localizada geograficamente e seus efeitos. O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) também foram destacados como modelos de compra pública que fortalecem a agricultura familiar e garantem comida de qualidade nas escolas e na mesa das famílias mais pobres. 

Durante esta semana, a comitiva da União Africana vai ainda visitar o Ministério do Desenvolvimento Agrário, o Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), uma escola da rede pública e conhecer o trabalho de agricultores familiares que fornecem alimentos para a merenda escolar. 

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br