Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2015 > Abril > Pagamento do Bolsa Família começa nesta quinta (16)

Notícias

Pagamento do Bolsa Família começa nesta quinta (16)

BOLSA FAMÍLIA

Em abril, serão pagos R$ 2,3 bilhões para complementar a renda de 13,8 milhões de famílias. Resultados do programa mostram que cresceu acesso à saúde e a educação entre os beneficiários
publicado  em 16/04/2015 15h00

Brasília, 16 – Beneficiários do Bolsa Família podem sacar o pagamento de abril a partir desta quinta-feira (16). O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) está repassando, neste mês, R$ 2,3 bilhões para complementar a renda de 13,8 milhões de famílias. O pagamento segue até o dia 30 de abril.

bolsafamilia-abr2015-estados.png


O benefício é pago nos últimos 10 dias úteis de cada mês, de forma escalonada. Para saber em que dia sacar o dinheiro, a família deve observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão. Para cada final do NIS, há uma data correspondente por mês que indica o primeiro dia em que a família pode fazer o saque. Os recursos ficam disponíveis para saque durante 90 dias.

Confira:
Pagamento por município

O Bolsa Família contribui para a superação da pobreza de duas formas: transfere a cada mês uma quantia em dinheiro diretamente às famílias e acompanha, nas áreas de saúde e educação, as crianças, os adolescentes e as mulheres grávidas que recebem o benefício. Os últimos resultados do acompanhamento da saúde e da educação mostram que os beneficiários do programa têm mais acesso aos serviços públicos.

No último bimestre do ano passado, mais de 15,7 milhões de crianças e adolescentes tiveram a frequência escolar acompanhada, que é de 75% e 85%, respectivamente. Na saúde, foram mais de 9,1 milhões de famílias que compareceram na rede do Sistema Único de Saúde para o monitoramento do crescimento e desenvolvimento das crianças, da vacinação e dos exames de pré-natal das gestantes.

Menos filhos – Em 10 anos, desde que o Bolsa Família foi criado, o número médio de filhos nas famílias mais pobres do país caiu mais do que a média brasileira. Entre 2003 e 2013, enquanto o número de filhos até 14 anos caía 10,7% no Brasil, as famílias 20% mais pobres do país — faixa da população que coincide com o público beneficiário do programa de complementação de renda — registravam uma queda mais intensa: 15,7%. No Nordeste, a redução foi ainda maior, chegando a 26,4% no período analisado.

Tempo certo – A criação de um benefício variável, em 2011, para as gestantes do Bolsa Família aumentou em 60% o percentual de grávidas de baixa renda que iniciaram o acompanhamento pré-natal até a 12ª semana de gestação. A identificação da gravidez no tempo certo aumenta as chances de uma gestação saudável e de um bebê sadio.

O resultado demonstra que um valor pequeno, incorporado ao benefício mensal, trouxe informação e melhor qualidade de vida para elas. No Brasil, em média, o percentual de identificação da gravidez no tempo certo passou de 14,3% para 22,9% depois do início do pagamento do benefício.

O programa também trouxe benefícios indiretos para o aumento da cura da tuberculose, doença relacionada à pobreza, sendo que os casos se concentram em populações mais vulneráveis. A proporção de cura entre os beneficiários do Bolsa Família foi 86%, 5,4 pontos percentuais acima do grupo não exposto ao benefício durante o tratamento.

Extrato – Ao sacar o Bolsa Família, o beneficiário deve ficar atento ao extrato de pagamento. Por meio dele, o governo federal envia mensagens importantes com recomendações para as famílias, como a necessidade de atualizar o cadastro ou o eventual descumprimento de condicionalidades do programa, que exige frequência às aulas e a manutenção das cadernetas de vacinação em dia, por exemplo.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa