Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Setembro > Estudo analisa consumo alimentar dos beneficiários do Bolsa Família

Notícias

Estudo analisa consumo alimentar dos beneficiários do Bolsa Família

POLÍTICAS PÚBLICAS

Para o pesquisador Alan Sartori, sistema de classificação descrito em pesquisa pode contribuir para aprimoramento das políticas públicas
publicado  em 19/09/2014 00h00

Brasília, 19 – Ao analisar o consumo alimentar dos brasileiros de baixa renda, o pesquisador Alan Giovanini de Oliveira Sartori, da Universidade de São Paulo (USP), observou que especialmente os beneficiários do Bolsa Família apresentam menor ingestão de alimentos industrializados e ultraprocessados.

Os dados da dissertação de mestrado do estudioso foram apresentados nesta sexta-feira (19), no Sexta com Debate, encontro realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).


Segundo Sartori, o estudo mostra que os beneficiários do Bolsa Família podem estar menos suscetíveis a doenças cardiovasculares e diabetes, que estão relacionadas à ingestão excessiva de alimentos industrializados. Os dados foram levantados a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares (2008 e 2009) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O pesquisador, que atua na área de ciência e tecnologia de alimentos, trabalhou com uma amostra de 34 mil pessoas, das quais  7,6 mil recebiam o benefício de transferência de renda. Conseguiu descrever o consumo de alimentos de acordo com o propósito, grau de processamento e a inclusão de aditivos alimentares (corantes e aromatizantes), além de criar um sistema de classificação dos produtos.

A amostra foi dividida em três faixas etárias – crianças e adolescentes (10 a 18 anos), adultos (19 a 59 anos) e idosos (60 anos ou mais) – e alcançou as cinco regiões do país e, especificamente, o estado de São Paulo.

O pesquisador disse que o estudo pode contribuir para o aprimoramento de políticas públicas, principalmente na área de educação alimentar e nutricional. “É necessário dar um enfoque para que a população perceba a relevância da alimentação para a saúde. Além disso, é importante regular a ação da indústria para ajudar a equilibrar a presença de nutrientes na dieta das pessoas”, sugeriu.

O Sexta com Debate ocorre quinzenalmente com o objetivo de promover a discussão sobre temas relacionados ao desenvolvimento social no Brasil e no mundo.

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021