Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Outubro > Tecnologias sociais vão garantir acesso à água potável em reservas extrativistas do Pará

Notícias

Tecnologias sociais vão garantir acesso à água potável em reservas extrativistas do Pará

ACESSO À ÁGUA

Ministra Tereza Campelo apresentou os sistemas pluviais para extrativistas costeiros e marítimos em Belém
publicado  em 17/10/2014 00h00

Belém, 17 – Dois novos modelos de tecnologias sociais de acesso à água serão construídos em quatro reservas extrativistas no estado do Pará. As reservas de Arióca Pruanã, Mapuá, Terra Grande Pracuúba e Soure receberão o Sistema Pluvial Multiuso Autônomo e o Sistema Pluvial Multiuso Comunitário.


A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, apresentou as tecnologias sociais nesta sexta-feira (17), em Belém (PA), na Assembleia Nacional de Institucionalização da Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Costeiras e Marinhas (Confrem).

“Esta é um demanda da população extrativista, que nos lembrou que o acesso à água potável é difícil na Amazônia”, disse ela, reforçando que o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) publicou edital na quarta-feira (16) para selecionar Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) para entregar, para 1.130 famílias, os sistemas.


Tereza Campello falou ainda sobre os avanços na agenda extrativista, como as concessões de direito real de uso, que permitem o acesso a políticas públicas como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Lembrou que a estratégia de Busca Ativa localizou e incluiu 112,8 mil famílias paraenses no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Além disso, mais de 40 mil famílias paraenses foram atendidas pelo programa Bolsa Verde, voltado para povos e comunidades tradicionais que conservam os recursos naturais.

Sistemas – Além do Pará, mais nove municípios da Amazônia receberão as novas tecnologias sociais, beneficiando um total de 2,8 mil famílias. Ao todo, o MDS investirá R$ 35 milhões no projeto.

No sistema Multiuso Autônomo, cada família poderá captar, armazenar e filtrar até seis mil litros de água da chuva. Já no Multiuso Comunitário, além das unidades domiciliares, também será instalado um módulo comunitário complementar de abastecimento com uma rede de distribuição, sendo acionado somente quando esgotar as reservas domiciliares.
 
Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021