Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Outubro > Ativista contra o trabalho infantil é um dos vencedores do Nobel da Paz 2014

Notícias

Ativista contra o trabalho infantil é um dos vencedores do Nobel da Paz 2014

Programa de ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

O indiano Kailash Satyarthi esteve no Brasil no ano passado, quando destacou a importância da Declaração de Brasília na luta contra a exploração da mão-de-obra de crianças e adolescentes
publicado  em 10/10/2014 00h00

Brasília, 10 – O indiano Kailash Satyarthi, ativista de direitos humanos, e a paquistanesa Malala Yousafzai, de 17 anos, venceram o prêmio Nobel da Paz de 2014 “pela luta contra a opressão das crianças e dos jovens e pelo direito de todas as crianças à educação”.

Coordenador da Marcha Global contra o Trabalho Infantil, Kailash Satyarthi participou, no final do ano passado, da III Conferência Global sobre o Trabalho Infantil, realizada em Brasília. Como um dos principais representantes da sociedade civil no evento, o indiano, na ocasião, afirmou que a guerra contra o trabalho infantil nunca será vencida se não houver um movimento internacional com esse objetivo. E provocou os participantes: “Provem que esta será a última geração que convive com o trabalho infantil”.

Ele elogiou a Declaração de Brasília, o documento final da conferência. “A Declaração de Brasília vai ajudar e servir como uma ferramenta para auxiliar a trazer a mudança aos governos.”

Na ocasião, Satyarthi conversou longamente com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, sobre a luta contra o trabalho infantil no Brasil e no mundo.

Ele observou que o trabalho infantil diminuiu nos últimos 10 anos, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido. “Não são somente números, todas as crianças são importantes”, afirmou. Satyarthi apontou seis desafios emergenciais nos quais os países devem concentrar esforços: educação, emprego, aplicação das leis, economia, meio ambiente e ética.

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021