Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Julho > Pronatec Brasil Sem Miséria certifica 1,8 mil alunos em Novo Hamburgo (RS)

Notícias

Pronatec Brasil Sem Miséria certifica 1,8 mil alunos em Novo Hamburgo (RS)

PRONATEC

Solenidade reuniu formandos de 40 municípios. Programa oferece cursos de qualidade reconhecida e gratuitos para a população mais pobre
publicado  em 03/07/2014 00h00


Novo Hamburgo (RS), 3 – A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, participou da formatura de 1,8 mil alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), voltado ao público do Brasil Sem Miséria, nesta quinta-feira (3), em Novo Hamburgo (RS). A solenidade reuniu formandos de 40 municípios da região. Os cursos mais procurados são: auxiliar administrativo, operador de computador, manicure e pedicure, eletricista instalador predial de baixa tensão e auxiliar de recursos humanos.

Tereza Campello destacou que o momento que o Brasil vive atualmente com boas ofertas de emprego. No entanto, ela lembrou que o país precisa da mão de obra qualificada e o Pronatec Brasil Sem Miséria foi criado para atender essa demanda. “Precisamos de brasileiros qualificados, não só para o Brasil continuar crescendo, mas porque temos que aumentar nossa produtividade. Estamos fazendo o Pronatec porque a qualificação é um direito do brasileiro.”

Segundo a ministra, a parceria entre o governo federal, o governo estadual, as prefeituras e as instituições ofertantes dos cursos é um dos fatores para o sucesso do programa. “Estamos sempre repactuando a quantidade de vagas e a atuação das áreas de assistência social do estado e das prefeituras é fundamental para garantir que mais pessoas pobres e extremamente pobres possam participar dos cursos de qualificação profissional ofertados no Pronatec.”

O Pronatec é uma das principais ações de Inclusão Produtiva Urbana do Plano Brasil Sem Miséria. Com foco nas pessoas em situação de vulnerabilidade, especialmente, os beneficiários do Bolsa Família, a iniciativa do governo federal promove o acesso à qualificação profissional gratuita e de qualidade para as pessoas inscritas no Cadastro Único de Programas Sociais do governo federal.

O Rio Grande do Sul é o estado com o maior número de matrículas do programa. São 140,2 mil em 316 municípios, desde que o Pronatec Brasil Sem Miséria foi criado em 2011. Em Novo Hamburgo, a população de baixa renda demonstra vontade de se qualificar, garantir melhores empregos e aumentar sua renda. Desde 2011, 3,3 mil pessoas já se matricularam nos cursos de qualificação profissional do Pronatec Brasil Sem Miséria. O município é o sétimo do Rio Grande do Sul em número de inscritos. Ao todo, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) investiu R$ 6,6 milhões na cidade.

Conquista – Moradora de Novo Hamburgo, Delci Lutz, de 48 anos, mãe de dois filhos, conseguiu qualificação profissional por meio de dois cursos do Pronatec Brasil Sem Miséria: desenhista de moda e desenhista de calçados. Depois disso, montou uma confecção que produz figurinos para escolas e empresas para apresentações culturais.

Emocionada, ela subiu ao palco durante a solenidade de formatura para contar sua história. Foi ovacionada ao devolver o cartão do Bolsa Família à ministra Tereza Campello. “É com muito orgulho que eu entrego o meu cartão.
Criei os meus filhos sozinha. Há muito tempo, somos só nós três. O Bolsa Família me ajudou muito a pagar as contas e dar segurança para minha família”.

Antes do Pronatec, a empreendedora tinha uma renda média de meio salário mínimo. Hoje, fatura aproximadamente dois salários mínimos por mês.
“Minha renda depende dos pedidos que consigo fechar. Mas já consegui trocar todas as máquinas da confecção por máquinas industriais. Vai melhorar muito meu trabalho”, afirma.

Os filhos de Delci também se qualificaram por meio do programa. Para ela, o futuro é muito promissor. “Meus filhos estão crescendo com uma carreira. Eles já podem ser independentes de mim. Eu tenho uma boa expectativa para o futuro. Espero, quem sabe, poder fazer Enem e entrar em uma faculdade de moda.”

A oradora da turma de formandos, Cátia Luana Luz da Silva, de 36 anos, mãe de três filhos, é beneficiária do Bolsa Família desde 2004. Há dois anos, ela cursa Administração, graças ao Prouni, e decidiu fazer o curso de auxiliar administrativo do Pronatec Brasil Sem Miséria para complementar os estudos.

Fora do mercado há mais de 10 anos, ela conseguiu, em junho deste ano, uma vaga de estágio na prefeitura de Novo Hamburgo. “Eu sei que o Pronatec foi um diferencial, porque me perguntaram no momento da entrevista se eu tinha feito o programa. Estou muito feliz porque vou atualizar meu cadastro do Bolsa. Tenho certeza que não vou precisar mais do benefício.”

Cátia conta com orgulho que está no caminho certo para a realização profissional e para o sonho de melhorar a renda da família. "O Bolsa Família me ajudou a alimentar meus filhos e esse auxílio foi fundamental nos momentos mais difíceis. Agora estou buscando ter um pouco mais para poder comprar roupas e calçados para meus filhos. Não recebi meu primeiro salário ainda, mas sei que vai ser para eles, porque eles precisam."

Acesso – O Pronatec Brasil Sem Miséria derruba o mito de que os beneficiários do Bolsa Família são desestimulados a trabalhar. Em todo o Brasil, já são 1,2 milhão de matrículas feitas pelo público do Cadastro Único. Pagos pelo governo federal, os mais de 570 cursos oferecidos são ministrados por estabelecimentos de qualidade reconhecida pelo mercado, como os institutos federais e as instituições do Sistema S (Senai, Senac, Senat e Senar).

Isso tem proporcionado mão de obra qualificada aos empregadores, já que os tipos de cursos oferecidos levam em conta as oportunidades abertas em cada região. Quem participa recebe gratuitamente material escolar, transporte e lanche.

Para participar do Pronatec Brasil Sem Miséria, é preciso ter no mínimo 16 anos e estar cadastrado ou em processo de inclusão no Cadastro Único. As matrículas devem ser feitas nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021