Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Julho > Mais de 580 mil crianças do Bolsa Família estão matriculadas em creches

Notícias

Mais de 580 mil crianças do Bolsa Família estão matriculadas em creches

BRASIL CARINHOSO

Em 2014, são mais de R$ 766 milhões sendo transferidos para que as prefeituras ampliem vagas e reforcem a manutenção da educação infantil
publicado  em 03/07/2014 00h00

Brasília, 3 – O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) está repassando mais de R$ 766 milhões para a ampliação de vagas e manutenção da educação infantil em todo o país. A ação para a suplementação de creches do Brasil Carinhoso garantirá a presença de mais de 580 mil crianças de 0 a 48 meses do Bolsa Família matriculadas em creches.


Estratégia central de atenção à primeira infância do Plano Brasil Sem Miséria, a iniciativa dá estímulos financeiros aos municípios para aumentar o acesso da população mais pobre aos serviços de educação infantil, uma vez que historicamente o percentual de crianças de baixa renda matriculadas em creche é menor do que a média nacional.

O incentivo é para que os municípios ampliem o número de vagas para essas crianças e tornem o acesso à educação infantil mais igual. Portanto, quanto mais crianças beneficiárias do Bolsa Família matriculadas em creches, maior o benefício recebido pelo município.

O diretor de Programas do MDS, Marcelo Cabral, observa que o acesso à educação pelas crianças mais pobres busca “quebrar o ciclo intergeracional de pobreza”. De acordo com ele, a ação de creches, aliada a outras iniciativas como o Mais Educação, que leva ensino integral às escolas públicas, e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), voltado ao público jovem e adulto do Brasil Sem Miséria, proporciona melhores condições para as famílias não apenas do ponto de vista da renda, mas de qualidade de vida.

“O princípio é universalista. E para a educação ser universal, temos que começar pelo mais difícil, chegando antes aos locais mais pobres. Quando falamos em creches, estamos falando em levar educação para as crianças, dando a chance às mães de frequentarem os cursos do Pronatec, abrirem seus próprios negócios ou entrarem no mercado formal de trabalho com a segurança de que seus filhos serão bem cuidados”, ressalta o diretor.

Cabral explica que, com estas ações, o governo federal já conseguiu aumentar o tempo de estudos das crianças. “De 2002 para cá, elas passam dois anos e meio a mais na escola do que passavam nos anos anteriores.”

Para cada vaga em creche pública ou conveniada ocupada por criança beneficiária do Bolsa Família, o MDS suplementa em 50% os valores repassados ao município pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Os valores são transferidos para conta específica pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O dinheiro pode ser utilizado em despesas de manutenção e desenvolvimento da educação infantil para garantir o cuidado integral e a segurança alimentar e nutricional das crianças. Em 2013, foram investidos R$ 571 milhões, correspondentes à matrícula de 454 mil crianças e, em 2012, R$ 151 milhões para 262 mil crianças.

Mudanças – Até 2012, a adesão à ação de suplementação de creches do Brasil Carinhoso era feita por meio de cadastro no Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec). A partir de 2013, as informações passaram a ser fornecidas por meio do Censo Escolar.

Dessa forma, os gestores da educação devem registrar o Número de Identificação Social (NIS) das crianças beneficiárias do Bolsa Família no Censo para que o município possa acessar os recursos. A mudança permite que as informações cheguem muito mais rápido ao MDS.

“Agora temos não apenas o número de crianças, mas um mecanismo mais detalhado, mais abrangente e mais eficiente. Além disso, os municípios já estão habituados a preencher o Censo Escolar, fazendo com que a informação chegue mais rápido ao governo. Ao fim do Censo, já sabemos o valor que cada município vai receber”, explica Marcelo Cabral.

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021