Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Julho > Extrema pobreza é erradicada no Distrito Federal

Notícias

Extrema pobreza é erradicada no Distrito Federal

COMBATE À EXTREMA POBREZA

Durante solenidade, a ministra Tereza Campello reforçou a importância do trabalho integrado para combater a miséria
publicado  em 02/07/2014 00h00

Brasília, 2 – A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, destacou nesta quarta-feira (2) a importância das ações integradas no combate à pobreza extrema. Durante solenidade do governo do Distrito Federal, declarado “território tecnicamente livre da miséria”, Campello afirmou que o Distrito Federal é “exemplo de como o trabalho integrado consegue trazer resultados mais rápido”. Em 2013, segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD/Codeplan), a população extremamente pobre representava apenas 0,7% da população do Distrito Federal.

Tereza Campello lembrou ainda que o Distrito Federal foi a primeira unidade da federação a utilizar recursos próprios para a complementação de renda do Programa Bolsa Família, logo após o lançamento do Plano Brasil Sem Miséria, do governo federal, em 2011.

O Distrito Federal já retirou 138 mil pessoas da extrema pobreza desde a criação do plano local, o DF Sem Miséria, também em 2011. O plano é inspirado no Brasil Sem Miséria e complementa a renda do Bolsa Família para que “nenhuma família conhecida receba renda menor do que R$ 140 por mês”, explicou o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, na cerimônia realizada no Palácio do Buriti, em Brasília. “Estabelecemos prioridades como a superação da fome e da extrema pobreza, com o apoio do governo federal”, disse.

Conquistas – Os resultados de superação da extrema pobreza ocorrem por todo o país. De acordo com a ministra Tereza Campello, o Plano Brasil Sem Miséria demonstrou que, com vontade política e a aplicação correta de políticas públicas, é possível alcançar as metas dos Objetivos do Milênio (ODM), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Quando lançamos o Brasil Sem Miséria, muitos disseram que era só anúncio porque a meta era muito ousada. Mas, antecipamos em mais de um ano, os nossos compromissos.”

Campello voltou a rebater as críticas contra o Bolsa Família e falou que muitos ainda têm preconceito contra os pobres. “Há um olhar sobre a pobreza que incomoda a classe média. Mas superamos a extrema pobreza nos lugares que ninguém vê, principalmente no Nordeste e nas periferias. Hoje podemos nos orgulhar de mostrar as riquezas do nosso país e exportar o que o Brasil nunca imaginou: políticas sociais e o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal como exemplo de política pública”, afirmou.

Benefícios – Das 93 mil famílias beneficiárias do Bolsa Família no Distrito Federal, 63 mil recebem complementação financeira do DF Sem Miséria. Em 2010, o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontava que 7,3% da população estavam abaixo da linha da pobreza. Já em 2013, a PDAD apontou que apenas 2,4% continuavam nesta situação.

Com o objetivo de dar continuidade às ações de combate à fome e extrema pobreza, o governador Agnelo Queiroz anunciou convênios de inclusão produtiva de catadores de recicláveis, capacitação de servidores do Sistema Único de Assistência Social (Suas), contratação de mais cadastradores para o Cadastro Único e a construção de mais um restaurante comunitário.

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021