Você está aqui: Página Inicial > Área de imprensa > Notícias > 2014 > Dezembro > Exposição e documentário retratam a vida de beneficiários do programa social

Notícias

Exposição e documentário retratam a vida de beneficiários do programa social

BOLSA FAMÍLIA

Ministra Tereza Campello participou da abertura da mostra Os Filhos Deste Solo: Olhares sobre o povo brasileiro, no Centro Cultural Dragão do Mar
publicado  em 10/12/2014 00h00

Brasília, 10 – A beneficiária do Bolsa Família Angeline Freire de Souza, 38 anos, foi conferir a abertura da exposição multimídia Os Filhos Deste Solo: olhares sobre o povo brasileiro, no Centro Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza, nessa terça-feira (9). Angeline conta que gostou muito do que viu. Para ela, a mostra é uma oportunidade de derrubar preconceitos relacionados aos beneficiários dos programas sociais. Ela se sentiu representada nas fotografias. “Queremos ser vistas como mulheres guerreiras que vão em busca dos seus direitos”, afirmou.


Mãe de quatro filhos, Angeline cursa Pedagogia na Universidade Federal do Ceará (UFCE) e trabalha no Banco Comunitário Palmas, na periferia da capital cearense. Há sete anos, ela tem a renda complementada pelo Bolsa Família. O benefício, segundo ela, a ajudou na hora de sair da situação de violência doméstica que vivia com o ex-marido. “O Bolsa Família ajuda muito. Trabalho e ainda cuido dos meus filhos”, destaca.

Ao ver as imagens da exposição, Jarbas Nascimento, 18 anos, se lembrou da vida no campo antes de ser beneficiário das políticas sociais do governo federal. “Antes não tínhamos alimentação balanceada. Deixei de estudar para trabalhar. É importante mostrar como o Bolsa Família tem melhorado a situação das pessoas como ocorreu comigo”, lembra. Hoje, Jarbas estuda Arquitetura na UFCE. A mãe, que é beneficiária do Bolsa Família, mora na zona rural do município de Senador Pompeu (CE).

De acordo com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, a exposição traz a realidade dos beneficiários do Bolsa Família, por meio de cartas, fotografias e painéis. “É um símbolo da luta e da liberdade deste povo”, afirmou.

A mostra está aberta ao público até o dia 11 de janeiro, no Museu da Cultura Cearense do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. A exposição traz painéis e projeções fotográficas, documentos, vídeos, depoimentos, infográficos, trilha sonora original e instalação artística que mostram os impactos positivos das novas políticas públicas na vida dos brasileiros. Como fio condutor da mostra, estão as histórias de cinco mulheres de Sergipe, Pará, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Todas são beneficiárias do Bolsa Família e, em diferentes estágios, estão superando a situação de pobreza.

Leia também:
"Não há nada mais escravizante do que a fome e a miséria", diz ministra

“O nosso objetivo é mostrar a diversidade brasileira a partir da música, fotografia e artes visuais para quebrar com esse preconceito contra os beneficiários dos programas sociais”, disse a curadora da exposição, Carla Jorner. A mostra já passou por Brasília e São Paulo.

Documentário – No cinema do Centro Dragão do Mar, foi apresentado pela primeira vez ao público o documentário Aqui deste Lugar, dos cineastas Sérgio Machado e Fernando Coimbra. O filme registra o cotidiano e os sonhos de três famílias de baixa renda integrantes do Bolsa Família. Sérgio lembra que, ao realizar o filme, presenciou a mudança ocorrida, nos últimos 10 anos, na vida das pessoas mais pobres, “por conta do programa de transferência de renda”.

“Com o filme, demos voz a um quarto da população brasileira, mais de 50 milhões de pessoas”, reforçou Tereza Campello.

Os eventos foram realizados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), pelo governo do Ceará e pelo Instituto Dragão do Mar.


Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021